sexta-feira, 25 de março de 2016

MITO DO LEITE: COMO ESTAMOS SENDO ENGANADOS.

Hoje irei falar de um assunto muito sério, sobre o consumo de leite. 
Diversas doenças estão relacionadas com o consumo de leite, como diabetes tipo 1, câncer,  infarto, entre várias outras. É mais um assunto polêmico. Claro que as produtoras de laticínio produzem diversos materiais que vão contra esses dados, porém é algo que vale a pena conhecer e refletir.




Atenção!! Esse post não tem o objetivo de fazer que ninguém pare de consumir leite.  Tudo é uma questão de bom senso e equilibrar a dieta. O objetivo é fazer com que as pessoas criem o hábito de PESQUISAR verdadeiramente,  procurar referências não vinculadas com indústrias alimentícias.

Primeiramente,  o ser humano é a única espécie que consome leite de outra espécie .  A natureza é perfeita,   o leite de cada espécie é um alimento adequado para a formação de um bebê da mesma  espécie.  Um bezerro, depois que nasceu, dobra de peso em 47 dias, o ser humano dobra de peso em 180 dias.  Ou seja, somos estruturas muito diferentes. O leite da vaca foi feito para bezerros e não é adequado para seres humanos.

O ser humano também é a única espécie que toma leite enquanto adulto. Você não vê uma vaca tomando leite,  a vaca come capim.  Esse hábito de dar leite para os gatos é errado,  leite faz mal e causa diarreia nos gatos.

Osteoporose
O leite e seus derivados não fazem parte da dieta de países como China, Japão, Vietnam, Tailândia, entre outros. Nesses países, com o menor consumo de leite, tem também o menor índice de osteoporose e fraturas ósseas. E os países com o maior consumo de leite tem as maiores taxas de osteoporose, como nos Estados Unidos.
Nós não dependemos do leite para suprirmos a necessidade de cálcio.  Vegetais verdes escuros possuem boa quantidade de cálcio.  Mesmo assim, estudos mostram que não é a falta de cálcio que causa osteoporose. Diversos fatores podem causar, como o tabagismo, alcool, anorexia, falta de atividade física, medicações, entre outros.

Cálcio – Infarto
Estudos de longo prazo revelam que a ingestão de leite e a suplementação mal feita de cálcio não mostram nenhum benefício na prevenção de fraturas ósseas. Isto porque precisamos de outros elementos para segurar o cálcio no osso, como o magnésio e vitamina D3. Esse cálcio que o osso não segura é depositado em artérias contribuindo para o infarto do miocárdio.
A relação ideal de cálcio e magnésio que deve ser ingerido é de no máximo 2:1, ou seja, 2 de cálcio para 1 de magnésio.  Porém a relação entres eles dois encontrada no leite é de 10:1, 10 de cálcio para 1 de magnésio. Ou seja, o cálcio presente no leite é péssimo para a nossa saúde, aumentando o risco de doenças cardíacas.

 Intolerância à lactose
O leite tem um açúcar chamado lactose. Quando uma enzima chamada lactase atua, a lactose é quebrada formando glicose e galactose.  Porém o ser humano para de fabricar essa enzima que quebra lactose, a lactase,  por volta dos 4 anos de idade. A digestão se torna difícil e a lactose chega inalterada no intestino grosso, onde é fermentada por bactérias que produzem gases e ácido lático, causando diarreias, náuseas, flatulência  entre outros sintomas. O bebês produzem a lactase para poder receber o leite materno, mas logo vamos perdendo a produção de lactase, nos tornando intolerantes. Por isso a maioria das pessoas se sentem mal quando tomam leite e isso é mais uma prova que leite não serve para adultos. Mais de 95% dos asiáticos tem intolerância a lactose, por isso lá não existe essa propaganda enganosa do leite como tem aqui.

Alergia
Além da intolerância, muitas pessoas possuem alergia ao leite, devido a diversos componentes presentes no leite, como a caseína.  Porém, quando o corpo produz anticorpos para combater esses componentes, ele acaba combatendo componentes benéficos com estruturas semelhantes. A caseína possui estrutura semelhante a proteínas presentes no pâncreas, fazendo com que o anticorpo ataque o pâncreas também, podendo causar diabetes tipo 1.  Outras doenças podem ser causadas devido o efeito autoimune causado pela alergia às proteínas do leite, como esclerose múltipla, autismo, enxaquecas, osteoporose, entre outras.

Ordenha 
Atualmente as vacas que produzem leite vivem 6 anos, antigamente elas viviam 20 anos e nos últimos 50 anos a produção de leite de uma vaca aumentou em 250%. Como pode uma vaca que durava 20 anos produzir 250% a menos de leite que uma vaca que vive 6 anos?
Enquanto uma vaca está ordenhando, ela já está grávida novamente, por meio de inseminação artificial. Para não deixar de produzir leite, eles deixam a vaca grávida constantemente.  O grande problema é que quando a vaca está prenha ela produz hormônios. Os dados demonstram que quando a vaca está prenha, no leite aumenta o nível de estrona em 33 vezes, um hormônio cancerígeno.
Um estudo de Harvard mostrou que mulheres que tomam 2 ou mais copos de leite por dia, tem um aumento de 66% de risco de desenvolverem câncer no ovário. Outros estudos demonstraram a relação da ingestão de leite com câncer de próstata, entre vários outros tipos de câncer.
Por isso a vaca leiteira vive 6 anos ao invés de 20.  Pois ela vive prenha, para produzir leite, quando não serve mais a matam e colocam outra no lugar.
Esse peito que tira leite várias vezes por dia, desenvolve uma inflamação, chamadas de mastite. Para resolver essa inflamação no peito da vaca, os produtores a tratam com antibióticos. Esses antibióticos vão pro leite da vaca. Isso com o tempo vai gerando uma super resistência do nosso corpo aos antibióticos.
Mesmo sem estar prenha, no leite da vaca estão presentes vários outros hormônios, em torno de 59 tipos de hormônios e fatores de crescimento, já que esse leite é feito para um bezerro que precisa dobrar de tamanho em 47 dias. Esses fatores de crescimento são ótimos para bezerros, porém ele causa proliferação das células, em ambiente propício, causa câncer.

Dificuldade
Claro que você vai pensar, e agora?! Usamos leite em quase tudo, para fazer um bolo, vitamina, uma receita, tudo tem leite. Porém é possível sim substituir o leite, tem várias receitas na internet, aos poucos você vai adaptando suas receitas. Eu tenho feito vitamina com água, bolo sem leite. Depois que parei de consumir leite senti uma diferença enorme na minha saúde, não me sinto mais inchada, já estou perdendo uns quilos, está sendo tudo de bom.   Depois irei reunir algumas receitas sem leite que já testei e passar para vocês. Espero que pesquisem sobre esse assunto que é muito sério. Eu não sou nenhuma  bióloga, veterinária, porém procuro boas fontes de pesquisa para tentar sair um pouco da alienação que o mercado nos coloca.

Abraços!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ski Montain Park - Adoramos

Localizado na Estância Turística de São Roque, a apenas 54 km da cidade de São Paulo, o Ski Mountain Park tem fácil acesso pelas Rodovias C...